Boa Noite! Segunda-feira, 20 de Maio de 2019

O periódico “New England Journal of Medicine” destaca o caso de uma mulher de 19 anos que teve a orelha reimplantada após ser arrancada por um cão da raça pit bull.

orelha3

Os médicos que relatam o caso, Stephen Sullivan e Helena Taylor, do Hospital de Rhode Island, nos EUA, contaram que o órgão foi recolocado no lugar usando uma técnica para refazer a ligação das artérias.

Como não encontraram veias passíveis de serem reconectadas, os médicos decidiram usar sanguessugas para drenar o sangue do local.

Após 24 dias, a orelha voltou a ter uma aparência normal e, depois de 4 meses, os profissionais consideraram que o reimplante havia se estabilizado.

orelha1

Eles observam que, apesar do avanço nas técnicas de transplante e bioengenharia, que permitem recriar estruturas faciais artificalmente, o reimplante da parte original é o ideal, sempre que possível.

 

Fonte: G1.com

Todos os direitos reservados Hospital das Clínicas