Boa Noite! Quarta-feira, 20 de Março de 2019

Quando temos uma dor e ela é causada por alguma coisa que vemos, é fácil entender – um corte, um inchaço. Mas quando a dor não é vista? Fica muito mais difícil de entender. Um exemplo é a cólica.

O Bem Estar desta quarta-feira (11) falou dessa dor que se sente, mas não se vê. Participaram do programa o consultor e ginecologista José Bento e a ginecologista Helizabeth Salomão para falar sobre cólica, endometriose, TPM.

Veja nos vídeos as explicações dos especialistas

Eles lembram que cólica não é frescura. “Tem dores que são mais significativas e às vezes não passam com um remédio simples. Temos que ter mais atenção com essas dores”, alerta Helizabeth Salomão.

Na hora da dor, além do remédio, uma bolsa de água quente, um banho quente pode aliviar a dor da cólica.

Dor que não se vê
Não existe um ranking das piores dores. Existem dores que, segundo relatos médicos, são as piores, mas é difícil comparar. A melhor forma de combater a dor é conhecê-la muito bem. Assim, a pessoa conseguirá pedir ajuda.

Algumas perguntas podem ajudar, como: há quanto tempo você tem; onde ela ocorre; como ela é; quais atividades melhoram e piora; quanto ela dura e quanto tempo você fica sem dor; ela limita suas atividades.

 

Fonte: g1.com

Todos os direitos reservados Hospital das Clínicas